Portuguese Revolution

A Covid-19 precipitou e agravou as condições de uma crise social e econômica que já estava em curso. A burguesia está confusa e dividida diante de um problema que ela não pode suportar mas também não consegue resolver.

The website of the Colectivo Marxista in Portugal – colectivomarxista.org – is live today! We have been working on this project for some time, but have decided to move the launch forward to today. This decision has been taken because we think that, in this time of economic and social crisis, it is more important than ever to spread and discuss political ideas.

A eleição presidencial de ontem (12/12) na Argélia foi marcada por uma enorme campanha de boicote convocada pelo movimento Hirak, que agora já dura 43 semanas. O boicote foi precedido por uma greve geral de quatro dias e foi particularmente forte na região de Kabylie. Dezenas de milhares saíram às ruas em todo o país desafiando a proibição policial de manifestações. Os generais podem até decidir quem será o presidente do país, mas esse governo não terá nenhuma legitimidade real.

Recentemente, estiveram voando faíscas entre o governo dos EUA e o regime iraniano. O presidente dos EUA, Trump, ordenou ataques de mísseis sobre o Irã, mas, em seguida, os cancelou abruptamente. O incidente foi o pico (até esse ponto) de semanas de tensões entre os dois governos. O ataque foi abortado depois que o Irã derrubou um drone militar norte-americano próximo ao Estreito de Ormuz. Os EUA afirmam que o drone se encontrava em espaço aéreo internacional. As autoridades iranianas, no entanto, afirmam que o drone se encontrava dentro do espaço aéreo iraniano quando foi derrubado.

Today is the 42nd anniversary of the Portuguese revolution. On this occasion we recommend our readers to read or re-read the following analysis, written by Alan Woods in 1974.

25 April marks 45 years of the "Carnation Revolution" in Portugal in 1974-75, which brought down a hated dictatorship and threatened the foundations of the capitalist system. In the end however, the movement was brought back onto the safe channels of bourgeois democracy. This article, written by Phil Mitchinson in 2002, explains what happened and urges us to learn the lessons from this great event.

The movement of the Portuguese workers has been an inspiration to working people everywhere. After fifty years of brutal oppression under a fascist state, the Portuguese workers have demonstrated their unconquerable will to change society.