Portuguese

A Corrente Marxista Internacional (CMI) esteve comemorando no ano passado o centenário de fundação, de março de 1919, da Terceira Internacional (Comunista). Em particular, celebramos o compromisso e as extraordinárias lições de seus primeiros quatro congressos. Mas, apenas alguns anos depois de entrar no cenário da história, a Comintern¹ sofreu um declínio repentino, dramático e irreversível. O que aconteceu? Como todo aquele potencial foi desperdiçado e se transformou em seu oposto?

Em 2 de maio do ano passado, fez 500 anos que Leonardo da Vinci morreu, em 1519. Da Vinci era um gigante absoluto na história do pensamento e da cultura humanos. Alan Woods presta homenagem ao grande artista, cientista e filósofo, cuja vida e ideias foram revolucionárias em muitos campos.

Tomamos conhecimento de que o Relatório Final da Comissão de Apuração do Centro Paula Souza – instaurada a partir da denúncia feita na Campanha em Defesa da Vida da Prof.ª Mara, de que estudantes de inclinação neonazista na Escola Técnica Estadual (ETEC) de Franco da Rocha estavam impulsionando um grupo no WhatsApp intitulado “Morte à Mara”, onde incentivavam o ódio e a violência, com requintes nazistas, além de, em diversos momentos, conspirar o assassinato da professora – deu parecer positivo às ações tomadas pela direção da ETEC, a saber, advertência oral para todos os estudantes que participavam do grupo e advertência escrita para o estudante mais agressivo e o líder do grupo.

A eclosão de uma nova crise de refugiados assombra os governos de toda a Europa. Uma enorme onda de fugitivos da guerra da Síria tenta cruzar a fronteira por terra ou pelo Mar Egeu, desde os campos na Turquia em direção à Grécia. Isso depois que um conselho de segurança extraordinário turco, dirigido pelo próprio presidente Recep Erdogan decidiu não mais deter os imigrantes que desejam chegar à Europa. A convocação do conselho se deu após a morte de 33 soldados turcos em um atentado na região de Idlib, que o governo de Ancara atribuiu à Síria de Bashar Al Assad, com apoio militar e estratégico dos russos.

Há algumas semanas, camaradas da seção russa da Corrente Marxista Internacional (CMI) ajudaram a convocar um protesto público em São Petersburgo contra o Caso Network, no qual vários ativistas de esquerda foram condenados a longas sentenças com base nas leis antiterrorismo, após confissões obtidas por meio de tortura. Compartilhamos este relato da manifestação, originalmente publicado em russo em 22 de fevereiro.

No último dia 09 de fevereiro, o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, ordenou que soldados do exército invadissem o parlamento salvadorenho. Alguns dias antes convocou o povo à insurreição fazendo uso do Artigo 87 da Constituição que permite a rebelião popular no caso de quebra da ordem constitucional. Essas ações representam um marco na história contemporânea de El Salvador, já que desde os Acordos de Paz de Chapultepec[1], nenhum governo utilizou a força militar para obter reformas ou empréstimos para financiar sua políticas.

O artigo a seguir, publicado originalmente em 26 de fevereiro pela Sinistra Classe Rivoluzione (seção italiana da CMI), critica a resposta do governo italiano à epidemia de coronavírus. Em vez de informar o público e proteger a saúde pública, o governo criou pânico desnecessário, decretou medidas ineficientes e suprimiu os direitos de greve e assembleia pública.

Todo o Estado canadense, junto com seus aliados, se mantém em ataque contra os indígenas da nação Wet’suwet’en, no norte da Colúmbia Britânica. No dia 13 de janeiro, a Real Polícia Montada do Canadá (RCMP) iniciou seu ataque realizando um bloqueio em território dos Wet’suwet’en, impedindo a entrada da população, da mídia e de suprimentos no território. O governo canadense os enviou para defender uma liminar que proíbe interferências na construção do gasoduto Coastal GasLink em um território Wet’suwet’en não cedido. A situação se intensificou em 6 de fevereiro quando a RCMP invadiu um dos campos dos defensores da terra, prendendo seis ativistas indígenas. Enquanto este artigo é

...

Em um escandaloso erro judiciário, um grupo de jovens ativistas de esquerda, na Rússia, recebeu pesadas sentenças de prisão por falsas acusações de terrorismo após confissões sob tortura. O Estado russo está tentando intimidar os dissidentes, mas não terão êxito. Solidariedade aos presos políticos!

A disseminação do coronavírus por toda a China está começando a ter sérias repercussões políticas para o regime. A raiva das massas encontrou um ponto crítico quando o médico que primeiro advertiu sobre a epidemia (e foi silenciado pelo PCCh) faleceu por conta do vírus. A situação é uma panela de pressão e Xi Jinping está lutando para manter a tampa abaixada.

Bernie Sanders saiu por cima na primária de New Hampshire, superando Pete Buttigieg. O movimento por trás de Sanders expressa um desejo por políticas de esquerda nos EUA, particularmente entre os jovens, que estão cansados das maquinações do capitalismo EUA e de seus dois principais partidos. O establishment está em crise e se prepara um período explosivo.

O capitalismo sul-africano está em crise total. A classe dominante está dividida e a deterioração das condições de vida dos trabalhadores e dos pobres está causando uma onda de ressentimento que emergirá à superfície mais cedo ou mais tarde, colocando uma luta de classes renovada na agenda.

Mais uma vez, a necessidade se revela através do acidente, enquanto a natureza podre da democracia capitalista americana se expunha em Iowa. A importância política do pequeno estado do centro-oeste foi elevada durante meses, enquanto incontáveis dólares e horas de candidatos eram gastos em um esforço para gerar impulso inicial para novembro. Em vez disso, o mundo foi premiado com um naufrágio de incompetência inimaginável – ou sabotagem cínica – dependendo do seu apetite por teorias da conspiração.

A mídia burguesa nunca se cansa de repetir: a esquerda francesa está em crise. Longe vão os dias em que o Partido Socialista (PS) e o Partido Comunista (PCF), entre eles, detinham uma clara maioria do eleitorado. E quando se trata da França Insubmissa (FI), eles não consolidaram o sucesso das eleições presidenciais de 2017, quando Mélenchon conseguiu 20% no primeiro turno, como vimos nas eleições europeias no ano passado.