A luta no campo se espalha na Índia em meio aos ataques do regime Modi

Camponeses indianos têm protestado por meses contra três novas leis agrícolas aprovadas pelo parlamento. Publicamos aqui uma atualização sobre o movimento, que alcançou um patamar importante com os acontecimentos dramáticos do Dia da República (26 de janeiro).


[Source]

As novas leis draconianas do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, vão afanar o último pedaço de pão das mãos dos camponeses e milhões deles ficarão arruinados para sempre em todo o país. Hoje milhares de camponeses já cometem suicídio todos os anos por causa da falência.

As manifestações de camponeses nos arredores de Delhi têm acontecido por mais de dois meses e já enfrentaram diversos ataques por parte da polícia, de forças paramilitares e de jagunços enviados pelo partido governante, o Partido do Povo Indiano (BJP).

Os acontecimentos de 26 de janeiro

Os acontecimentos de 26 de janeiro, data celebrada na Índia como Dia da República, foram históricos em diversos aspectos. Centenas de milhares de camponeses marcharam em Delhi protestando e fazendo reivindicações. A manifestação reuniu mais de 100 mil tratores agrícolas e coincidiu com a parada militar organizada naquele dia para mostrar a força do exército.

A manifestação foi pacífica e conquistou o apoio de milhões de pessoas no país e no mundo. Mas o regime Modi enviou agentes provocadores para atrapalhar o protesto pacífico e manchar a imagem do movimento. Esses agentes do regime Modi se fantasiaram de camponeses e invadiram o famoso Forte Vermelho em Delhi para hastear a bandeira sikh após retirarem a bandeira indiana. O objetivo era colocar a manifestação dos camponeses contra as novas leis agrícolas em meio à guerra entre as religiões hindu e sikh. As lideranças camponesas rapidamente esclareceram isso em suas declarações, nas quais condenaram e expuseram os agentes provocadores que claramente eram membros do partido BJP no estado do Punjab.

Após os acontecimentos de 26 de janeiro, o governo Modi pensou ter enfraquecido o movimento camponês e uma vez mais atacou com brutalidade as manifestações nos arredores de Delhi com forças policiais e jagunços contratados. Mas o que se viu foi a reação de centenas de milhares de camponeses do maior estado, Uttar Pradesh, que também estão enfurecidos com Modi e iniciaram uma marcha em direção a Delhi. Agora o estado se tornou uma nova base para o movimento além dos estados do Punjab e Haryana, embora o apoio aos camponeses se espalhe como uma torrente por todo o país.

Além disso, celebridades como Greta Thunberg apoiam o movimento, o que o fez ganhar grande visibilidade internacional. Os tweets de Greta sobre o movimento camponês levaram a polícia de Delhi a abrir uma investigação contra ela! A estrela do pop Rihanna também expressou seu apoio e atletas americanos, inclusive o jogador da liga de futebol americano Juju Smith-Schuster, que doou US$ 10 mil “para assistência médica a camponeses necessitados na índia”.

Líderes de todos os partidos políticos da oposição estão ainda muito distantes do movimento e não desempenharam nenhum papel nessa mobilização gigantesca que já atingiu um nível histórico. O tamanho da luta reflete a ebulição em toda a sociedade, e até mesmo camadas relativamente conservadores que vivem em áreas remotas estão se movimentando e se radicalizando sob o peso da crise econômica e do mal-estar social.

As entrevistas realizadas por diversos canais de TV com camponeses jovens que vieram a Delhi foram um despertar para muitos, uma vez que essa parcela da juventude, normalmente considerada atrasada, explicou o impacto econômico devastador da recente crise em suas vidas e por que eles não acreditam em qualquer partido político e querem lutar por seus direitos por conta própria. O papel das mulheres também se mostrou fundamental, uma vez que milhares estão indo em direção a Delhi e envergonhando seus maridos covardes que tentam fugir dos protestos.

Isso tudo caminha em direção a um ponto de virada na política indiana. Os partidos comunistas e lideranças sindicais poderiam desempenhar um papel importante chamando uma greve geral por tempo indeterminado e mobilizando milhões de trabalhadores contra as leis antissindicais impostas por Modi e suas políticas reacionárias contra a classe trabalhadora. Mas seu silêncio criminoso está sendo percebido pelos camponeses e também pelos trabalhadores.