Solidariedade urgente aos estudantes mexicanos presos

Lançamos um apelo ao movimento estudantil e dos trabalhadores em todo o mundo para que assinem a resolução abaixo, na qual exigimos a libertação dos presos políticos detidos no dia 1º de dezembro de 2014.

Neste dia, manifestaram-se milhares e milhares de estudantes e trabalhadores mexicanos exigindo o aparecimento com vida dos 43 estudantes normalistas de Ayotzinapa. O Estado, sob o pretexto de alguns atos isolados de violência de ultra esquerdistas e infiltrados, atacou companheiros que se manifestavam pacificamente, espancando vários e prendendo arbitrariamente 3 estudantes que cometeram o único delito de lutar para que exista uma verdadeira justiça em nossa sociedade. Isso foi um pretexto usado pelo Estado para romper unilateralmente a mesa de diálogo do Instituto Politécnico Nacional (IPN). Exigimos a libertação dos presos políticos, a solução para as demandas da luta do IPN e o aparecimento dos 43 estudantes normalistas.

Envie a petição que segue abaixo para os seguintes e-mails: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. , This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.,This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Com cópia para: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it., This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. e This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

*************

Nome:

Organização e função:

Cargo:

Pais:

À Enrique Peña Nieto

À Secretaria do Governo

À Secretaria de Educação Pública

À Miguel Ángel Mancera, Chefe do Governo do Distrito Federal

À Procuradoria Geral de Justiça do Distrito Federal

À Enrique Fernández Fasnacht, Diretor Geral do IPN

À José Narro Robles, Reitor da UNAM

Em 1º de dezembro, um grupo de manifestantes que exigiam o aparecimento dos 43 estudantes normalistas de Ayotzinapa foram brutalmente reprimidos pela polícia, que não se importou com a presença de pais de família e crianças; dezenas de companheiros foram espancados, alguns com extrema violência. Eles não somente golpearam companheiros inocentes, também prenderam os companheiros Ariel Flores Pérez, que é estudante do Vocacional 9 do IPN, Damián Reyes Lara, estudante da Faculdade de Filosofia e Letras da UNAM e da Escola de Música do INBA, e o companheiro Oscar Espinoza Trigueros, que estuda no Colégio de Ciências e Humanidades da UNAM. Estes atos se somam às prisões arbitrárias ocorridas em 20 de Novembro, que conseguimos reverter graças à luta e mobilização. Por estes novos atos de evidente repressão estatal, responsabilizamos o presidente Peña Nieto e Miguel Mancera, governador do Distrito Federal.

Rechaçamos a acusação de que os companheiros presos sejam delinquentes. Desconfiamos completamente de um governo que tem demonstrado sua grande corrupção. Suas leis não servem para proteger o povo do México, mas sim os ricos. A demonstração mais clara disso é a sua incapacidade para encontrar os 43 estudantes normalistas de Ayotzinapa, que são filhos de famílias operárias e camponesas, enquanto o presidente e sua família vivem como reis, à custa do sofrimento do povo, com enormes palácios e fortunas, impunimente.

Repudiamos a acusação de que estes atos não tenham relação com a luta do IPN, grande parte dos companheiros atacados pertencem à esta instituição e foram eles os agredidos com maior severidade. Estes ataques foram coordenados entre o governo federal e o da capital federal, buscando golpear a luta dos estudantes politécnicos que estão há mais de 2 meses em greve.

Nós, abaixo assinados:

• Exigimos a libertação imediata e sem pagamento de fiança de todos os estudantes detidos em 1º de Dezembro de 2014: Ariel Flores Pérez, Demián Reyes Lara e Oscar Espinoza Trigueros. 

• Exigimos do governo mexicano, em todos os seus níveis, que cesse a repressão aos protestos sociais, o pleno atendimento das reivindicações dos estudantes do IPN e que apareçam com vida os 43 estudantes normalistas de Ayotzinapa. Do contrário, exigimos as renúncias de Miguel Ángel Mancera e de Enrique Peña Nieto.

2 de dezembro de 2014