Resposta ao juiz Oziel Francisco de Sousa, que decidiu a invasão da CIPLA por 150 policiais armados com objetivo de fechá-la.

Neste 23 de Maio, os trabalhadores da Cipla e Interfibra somam-se à Coordenação dos Movimentos Sociais (que reúne CUT, MST, UNE, e mais de 30 entidades) na jornada de lutas pela Estatização das Fábricas Ocupadas, Reforma Agrária já, Reestatização das ferrovias e de todas as empresas públicas privatizadas, Não à Emenda 3.

Infelizmente, os estudantes desconhecem a verdadeira história da abolição da escravidão no Brasil. Na escola, desde o ensino fundamental, as únicas recordações que ficam no imaginário popular são da princesa boazinha que "libertou" os escravos. E por aí vai se reproduzindo a "história oficial".

Os negros e negras, particularmente a juventude são o maior contingente da população brasileira. A realidade é: recebemos os mais baixos salários, trabalhamos nas piores funções e dos desempregados somos o maior número. Nós pagamos o mais alto preço no país, para manter os privilégios da classe dominante.

Dois projetos de lei estão em tramitação no Congresso Nacional, o PL 73/1999 que introduz cotas “sociais” e “raciais” e o PL 3198/2000, denominado Estatuto da Igualdade Racial, que pretende dividir o Brasil em “brasileiros” e “afro-brasileiros”. Os dois projetos têm na sua essência a introdução legal de uma política de diferenciação entre os brasileiros segundo critérios “raciais”.