No último dia 2 e 16 de dezembro foi realizada a eleição para direção do PT, a Esquerda Marxista conquistou uma votação expressiva apesar dos meios materiais em que ela se realizou serem completamente desfavoráveis. 1.654 trabalhadores e jovens de todo o Brasil votaram no "Programa Operário e Socialista" expressando seu apoio com uma política marxista e revolucionária.

Discurso de José Carlos Miranda (MNS), contra o Estatuto da Igualdade Racial, na Comissão Geral realizada na Camara dos Deputados  e o discurso de Roque José Ferreira (FNITST-CUT), contra o Estatuto da Igualdade Racial, na Comissão Geral, realizada na Câmara dos Deputados - Brasilia, 26.11.07

No dia 26 de novembro de 2007, a Câmara dos Deputados realizou uma Comissão Geral para debater o estatuto da igualdade racial, na verdade projeto de lei que se propões a dividir artificialmente o Brasil em “afrobrasileiros” (aqueles que se declaram pretos e pardos – pele escura) e “brasileiros” (os outros). Os dirigentes da Esquerda Marxista e do MNS (Movimento Negro Socialista), estiveram presentes convidados oficialmente pela Presidência da Câmara, aonde pediram a rejeição do estatuto e de políticas com base em dar direitos e deveres com base na criação e ou afirmação de raças humanas. Veja o discurso dos camaradas na íntegra, realizado da tribuna dos deputados.

Nos dias 2 e 16 de dezembro próximo, acontecerá o processo de eleições diretas (PED) no Partido dos Trabalhadores. O Programa Operário e Socialista é impulsionada pela Esquerda Marxista e tem como candidato á Presidente Nacional do PT, companheiro José Carlos Miranda. Recebemos a entrevista que o ex-metalúrgico, Coordenador Nacional do MNS e dirigente da Esquerda Marxista concedeu ao Portal do PT.