No último dia 09 de fevereiro, o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, ordenou que soldados do exército invadissem o parlamento salvadorenho. Alguns dias antes convocou o povo à insurreição fazendo uso do Artigo 87 da Constituição que permite a rebelião popular no caso de quebra da ordem constitucional. Essas ações representam um marco na história contemporânea de El Salvador, já que desde os Acordos de Paz de Chapultepec[1], nenhum governo utilizou a força militar para obter reformas ou empréstimos para financiar sua políticas.

O artigo a seguir, publicado originalmente em 26 de fevereiro pela Sinistra Classe Rivoluzione (seção italiana da CMI), critica a resposta do governo italiano à epidemia de coronavírus. Em vez de informar o público e proteger a saúde pública, o governo criou pânico desnecessário, decretou medidas ineficientes e suprimiu os direitos de greve e assembleia pública.

Todo o Estado canadense, junto com seus aliados, se mantém em ataque contra os indígenas da nação Wet’suwet’en, no norte da Colúmbia Britânica. No dia 13 de janeiro, a Real Polícia Montada do Canadá (RCMP) iniciou seu ataque realizando um bloqueio em território dos Wet’suwet’en, impedindo a entrada da população, da mídia e de suprimentos no território. O governo canadense os enviou para defender uma liminar que proíbe interferências na construção do gasoduto Coastal GasLink em um território Wet’suwet’en não cedido. A situação se intensificou em 6 de fevereiro quando a RCMP invadiu um dos campos dos defensores da terra, prendendo seis ativistas indígenas. Enquanto este artigo é escrito, 21 pessoas já foram presas.