O Covid-19, a gestão desastrosa do início da epidemia e o pânico entretanto instalado ameaçam centenas de milhares de postos de trabalho e os já insuficientes salários de grande parte dos trabalhadores portugueses. Desemprego, redução de salários e benefícios e austeridade sem fim para, uma vez mais, pagar os “pacotes financeiros” que se anunciam.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o coronavírus (oficialmente, Covid-19) como uma pandemia na última quarta-feira (11/3). Essa é uma situação de saúde pública na qual uma doença se propaga pelo mundo de forma rápida e simultânea. Os primeiros casos de contaminação interna já foram diagnosticados no Brasil e há projeções de um crescimento exponencial[1] de casos nas próximas semanas.

Acontecimentos em escala mundial estão se movendo a uma velocidade vertiginosa. O novo coronavírus (Covid-19) desencadeou uma reação em cadeia, que está derrubando qualquer aparência de estabilidade em um país após o outro. Todas as contradições do sistema capitalista estão vindo à tona.