A eclosão de uma nova crise de refugiados assombra os governos de toda a Europa. Uma enorme onda de fugitivos da guerra da Síria tenta cruzar a fronteira por terra ou pelo Mar Egeu, desde os campos na Turquia em direção à Grécia. Isso depois que um conselho de segurança extraordinário turco, dirigido pelo próprio presidente Recep Erdogan decidiu não mais deter os imigrantes que desejam chegar à Europa. A convocação do conselho se deu após a morte de 33 soldados turcos em um atentado na região de Idlib, que o governo de Ancara atribuiu à Síria de Bashar Al Assad, com apoio militar e estratégico dos russos.

Há algumas semanas, camaradas da seção russa da Corrente Marxista Internacional (CMI) ajudaram a convocar um protesto público em São Petersburgo contra o Caso Network, no qual vários ativistas de esquerda foram condenados a longas sentenças com base nas leis antiterrorismo, após confissões obtidas por meio de tortura. Compartilhamos este relato da manifestação, originalmente publicado em russo em 22 de fevereiro.

No último dia 09 de fevereiro, o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, ordenou que soldados do exército invadissem o parlamento salvadorenho. Alguns dias antes convocou o povo à insurreição fazendo uso do Artigo 87 da Constituição que permite a rebelião popular no caso de quebra da ordem constitucional. Essas ações representam um marco na história contemporânea de El Salvador, já que desde os Acordos de Paz de Chapultepec[1], nenhum governo utilizou a força militar para obter reformas ou empréstimos para financiar sua políticas.