Portuguese

Um artigo de nossos camaradas britânicos de Socialist Appeal (“Narrativas, ‘guerras culturais’ e a Esquerda”) atraiu a ira do jornalista de “esquerda” Paul Mason. Ele disse que nossa organização, “em decadência”, precisa abandonar sua visão de mundo desatualizada. Alan Woods explica que o mingau ralo do pós-modernismo de Mason não substitui a ciência do marxismo.

No dia 21 de agosto, o Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela (TSJ) resolveu depor a atual direção de Pátria para Todos (PPT), outorgando o controle legal do partido a uma fração minoritária. Este é um outro caso escandaloso de intervenção estatal nos assuntos das organizações de esquerda, que só se pode interpretar como uma resposta à formação da Alternativa Popular Revolucionária (APR), que vai se apresentar nas eleições de dezembro à Assembleia Nacional.

Desde março deste ano, quase cinco meses atrás, a Casa Museu de Leon Trotsky no México foi fechada ao público como resultado das medidas tomadas para limitar a propagação da pandemia de COVID-19. Nós recebemos um apelo do neto de Trotsky, Esteban Volkov, para apoiar o museu nestas difíceis condições. Generosamente, clique aqui para fazer uma doação! Todo o valor arrecadado irá para o museu.

A pandemia da Covid-19 afetou todas os setores da sociedade e tirou centenas de milhões de pessoas do trabalho em todo o mundo. No entanto, um olhar mais atento revela que as mulheres foram afetadas de forma desproporcional pela pandemia. As trabalhadoras desempenham um papel fundamental nos cuidados de saúde, creche, assistência aos idosos e ensino, embora enfrentem baixos salários, empregos precários e violência doméstica e sexual – tudo isso agravado pela pandemia.

Ao longo do último mês, tanto os espectadores da televisão portuguesa como britânica foram submetidos ao espectáculo pouco edificante de vários ministros do governo do Partido Socialista (PS) que se apresentaram perante o governo britânico. O ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, chamou “insensato e injusto” ao facto de os turistas britânicos ainda estarem efectivamente proibidos de visitar Portugal. “Esta não é a forma como os aliados e amigos são tratados”, queixou-se ele, como se pudesse assim mudar a opinião de Boris Johnson.

Por semanas a fio, os protestos de George Floyd contra o racismo e a violência policial sacudiram os Estados Unidos. O apoio ao movimento ultrapassou todas as fronteiras demográficas, já que cerca de 10% de todos os adultos americanos – cerca de 25 milhões de pessoas – participaram de pelo menos um protesto. No entanto, embora as reuniões de massa continuem inabaláveis ​​em algumas cidades, na maior parte do país o rio torrencial inevitavelmente recuou para suas margens, pois foi privado de uma saída revolucionária – por enquanto.

Aparentemente, a Nova Zelândia venceu a pandemia da Covid-19 e o governo liderado pelos trabalhistas é o mais popular da história. No entanto, os reformistas no controle ainda pensam que podem administrar o capitalismo indefinidamente. Em vez disso, deveriam estar preparando o terreno para políticas socialistas.

Com mais de 70 pontos das rodovias principais bloqueados, a greve geral indefinida, que a burocracia da Central Obrera Boliviana (COB) foi forçada a convocar sob a pressão das bases, começou na segunda-feira.

Ao longo do último mês, tanto os espectadores da televisão portuguesa como britânica foram submetidos ao espectáculo pouco edificante de vários ministros do governo do PS que se apresentaram perante o governo britânico. O ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, chamou “insensato e injusto” ao facto de os turistas britânicos ainda estarem efectivamente proibidos de visitar Portugal. “Esta não é a forma como os aliados e amigos são tratados”, queixou-se ele, como se pudesse assim mudar a opinião de Boris Johnson.

Uma explosão gigantesca causou destruição incalculável e derramamento de sangue na capital libanesa ontem. Essa foi uma tragédia já anunciada e provocará a ira das massas contra a camarilha corrupta no topo da sociedade. Somente a luta da classe trabalhadora pode acabar com essa situação intolerável, escreve Alan Woods.

A Universidade Marxista terminou da mesma forma que começou: com tremendo otimismo revolucionário! Ao longo do evento, quase 6.500 pessoas de mais de 115 países se inscreveram; a sessão de abertura foi vista 10 mil vezes; e quase 280 mil euros foram arrecadados em doações. Este foi um evento verdadeiramente histórico, com o mais alto nível de discussão política. A escola foi um tremendo testemunho da força das genuínas ideias e tradições marxistas e da dedicação revolucionária dos camaradas e apoiadores que a tornaram possível.

Enquanto a crise econômica no Paquistão se encaminha para uma catástrofe, com milhões de pessoas sendo jogadas na extrema pobreza e morte devido à fome e privações, a repressão estatal também está escalando níveis sem precedentes. Todas as formas de expressão de discordância e raiva estão sendo estranguladas. O ativista da Aliança Progressista da Juventude (PYA, em suas siglas em inglês), o camarada Amin, é uma das muitas pessoas sequestradas pela brutalidade do Estado. Libertem Amin!

Os capitalistas e os mercados de ações estavam respirando aliviados, à medida que as novas cifras econômicas mostravam uma desaceleração da taxa de declínio na economia mundial. No entanto, nenhum dos problemas foi resolvido e o pequeno aumento, inevitável após o alívio do bloqueio, não alterará a perspectiva de uma profunda crise econômica, social e política.

A Universidade Marxista Internacional 2020 é uma escola on-line de quatro dias de duração, realizada de 25 a 28 de julho pela Corrente Marxista Internacional (marxist.com), dedicada a defender ideias socialistas revolucionárias e a formar trabalhadores e jovens na teoria marxista!