Brasil: Maio Vermelho - Trabalhadores promovem manifestações em todo o país

Neste 23 de Maio, os trabalhadores da Cipla e Interfibra somam-se à Coordenação dos Movimentos Sociais (que reúne CUT, MST, UNE, e mais de 30 entidades) na jornada de lutas pela Estatização das Fábricas Ocupadas, Reforma Agrária já, Reestatização das ferrovias e de todas as empresas públicas privatizadas, Não à Emenda 3.

Jornada de lutas exige Estatização das Fábricas Ocupadas, Reforma Agrária e Não à Emenda 3.

Neste 23 de Maio, os trabalhadores da Cipla e Interfibra somam-se à Coordenação dos Movimentos Sociais (que reúne CUT, MST, UNE, e mais de 30 entidades) na jornada de lutas pela Estatização das Fábricas Ocupadas, Reforma Agrária já, Reestatização das ferrovias e de todas as empresas públicas privatizadas, Não à Emenda 3.

As manifestações ocorrem em todo o país com atos públicos, passeatas, fechamentos de estradas e rodovias, ocupações de prédios públicos e greves em diversas categorias.

O Movimento das Fábricas Ocupadas e em Luta, que batizou a jornada de "Maio Vermelho", realiza manifestações na Região de Campinas e Sumaré/SP (Flaskô), em Caieiras/SP (Ellen), no Rio de Janeiro (Álcalis), em Campo Largo/PR (TMT) e Recife/PE.

Em Joinville, os trabalhadores da Cipla e Interfibra fazem manifestação na Praça da Bandeira, a partir das 10 horas.

Além das reivindicações centrais, estão: o fim dos leilões e penhora de faturamento pelo INSS e Receita Federal, fim das ameaças de prisões dos dirigentes das Fábricas.

Atividades previstas nos estados:

São Paulo - Paralisação do metrô na capital, e manifestações na Avenida Paulistas às 10 h (em frente à Fiesp) e às 14 h (no Masp). Passeata do Masp à Assembléia Legislativa e mobilização dos professores municipais no centro (R. Libero Badaró). Paralisação dos professores da rede estadual, municipal e federal, servidores estaduais e servidores federais, INSS, bancários do Banco do Brasil e trabalhadores e estudantes das universidades estaduais. MTST e outros movimentos pela reforma urbana farão manifestações na cidade. Ações no Vale do Paraíba, Santos, Campinas, Bauru, Ribeirão Preto, Osasco, ABC e Guarulhos.

Rio de Janeiro - passeata a partir das 13h, saindo dos fundos da Igreja da Candelária. A passeata será pontuada por atos públicos e protestos diante do prédio da Caixa Econômica Federal, da Biblioteca Nacional e da sede da Justiça Federal, da Vale do Rio Doce e do prédio do Ministério da Fazenda. Paralisação dos professores da rede estadual, municipal e federal, servidores federais bancários do Banco do Brasil e funcionários da UFRJ.

Brasília - trabalhadores rurais filiados à Contag e à Fetraf realizam grande mobilização nas ruas da cidade. Paralisação do INSS, funcionários da UNB, Policia Federal, Servidores dos ministérios e órgãos federais e bancários do Banco do Brasil. MST vai realizar atividades no interior. Ato com concentração às 9 horas na Catedral de Brasília

Amazonas - ato ás 16 horas na Praça do Congresso, em Manaus, com a participação do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, Sindicato dos Fazendários e Oposição de professores.

Amapá - paralisação dos docentes da universidade com o fechamento dos portões e ato no centro às 16 horas.

Pará - paralisação dos operários da construção civil, servidores municipais de Belém, professores da rede estadual, servidores da FUNPAPA, docentes da UFPA, servidores da UFPA e da UFRA e servidores federais. Ato no Centro Arquitetônico de Nazaré com a participação do MST e de trabalhadores rurais.

Bahia - paralisação dos funcionários da UFBA, SINDJUFE, SINASEFE. Petroleiros farão uma paralisação parcial e haverá atividades no Pólo Petroquímico. MST vai realizar um ato na ponte que liga a cidade de Petrolina (BA) com Juazeiro (PE) e também nas cidades de Barreira, Itabuna e Feira de Santana. Ato às 10 horas na Praça de Campo Grande.

Alagoas - ato as 6:30h no portão de entrada da UFAL e outro no PILAR (unidade da Petrobrás) onde os trabalhadores irão retardar a entrada no trabalho.

Sergipe - paralisação dos policiais civis, petroleiros e médicos estaduais e servidores federais, e servidores da UFS. Manifestações de professores e servidores da saúde da rede estadual. Ato unificado na Praça da Bandeira.

Pernambuco - paralisação de professores municipais de Recife e servidores federais. Protestos do movimento popular com manifestações nos bairros e atos dos estudantes nas universidades.

Paraíba - passeata na região central de João Pessoa. Concentração a partir das 9h diante da estação ferroviária. A passeata será pontuada por atos públicos diante da prefeitura, da câmara municipal e na Praça dos Três Poderes. Às 16h30, no parque Solon de Lucena, grande ato público. Paralisação dos servidores federais, CEFET, servidores da UFPB, oficiais da justiça estadual. Os movimentos dos sem terra vão fazer protestos nas estradas. Ato unificado na capital com a Conlutas, CMP, Via Campesina e Consulta Popular.

Rio Grande do Norte - paralisação da Saúde estadual com caravanas do interior para a capital, servidores municipais, servidores das Universidades estadual e federal, servidores federais e o INSS. Bancários realizam protestos.

Ceará - paralisação dos bancários do Banco do Brasil, servidores federais, trabalhadores da construção civil, professores estaduais. Professores e servidores de Fortaleza vão realizar atividades na cidade. A oposição rodoviária fará agitação em um dos principais terminais de ônibus da cidade. Ações do MST e MAB no interior do estado. As pastorais sociais junto com o MCP (Movimento dos Conselhos Populares) estão organizando atos nas avenidas de grande circulação da cidade. Passeata às 18 horas no centro com paralisações na Av. Duque de Caxias com General Sampaio.

Piauí - paralisação dos docentes da UESPI, servidores federais e os servidores de Teresina. Manifestações dos trabalhadores da educação estadual e os trabalhadores dos correios. Ato em frente ao palácio do Karnak e passeata pela principal avenida da cidade.

Maranhão - paralisação dos professores e servidores estaduais, funcionários do IBAMA, servidores da UFMA, funcionários do IPHAN e do Banco do Brasil. Ato público no centro da cidade, com passeata envolvendo servidores públicos federais, estaduais e outras categorias, além de movimento estudantil da UFMA, UEMA.

Minas Gerais - Paralisação dos professores da rede estadual e de Belo Horizonte e Contagem, servidores de Belo Horizonte, trabalhadores em hospitais privados, CEFET, policia civil, servidores federais, bancários do BB, SINDBEL. MST e MAB vão realizar atividades em Ponte Nova, Janaúba, Montes Claros, entre outros. Nas regiões do Centro-oeste e Norte de Minas, ato com os setores em greve, MST, Via Campesina e entidade dos pescadores e ribeirinhos. Ato unificado à tarde em Belo Horizonte com caravanas do interior.

Santa Catarina - em Florianópolis, concentração de manifestantes, a partir das 15h30, na praça Fernando Machado. Passeata em direção à praça XV, onde haverá ato público. Paralisação do IBGE, SINASEFE, servidores federais e professores da rede estadual. Manifestações: docentes da APUFSC, servidores de Florianópolis e dos policiais militares (estão em greve). Protesto dos rodoviários no horário da manifestação. Em Joinville, os trabalhadores das Fábricas Ocupadas (Cipla e Interfibra) fazem manifestação na Praça da Bandeira, a partir das 10 horas.

Paraná - em Curitiba, a partir das 8h, concentração na praça Santos Andrade. Às 9h30, início da passeata em direção à sede da DRT. Ato público. Logo após, a passeata recomeça, em direção à Boca Maldita, onde haverá novo ato público, a partir das 10h30. A mobilização se encerra com um ato de rua diante da sede da Associação Comercial do Paraná, a partir das 11h30.

Rio Grande do Sul - paralisação dos servidores de Porto Alegre, servidores federais e docentes do UFRGS

(Fonte: Agência Carta Maior, 21.05.2007)

Join us

If you want more information about joining the IMT, fill in this form. We will get back to you as soon as possible.